Facebook Youtube Twiter Sound cloud
nas redes
 
 
Logo Minas Sem Censura Newsletter

Mais Notícias

 
 

Deputado tucano acusa o próprio partido de caciquismo e de não ouvir a voz das ruas


Deputado tucano acusa cúpula do PSDB de caciquismo e disse que partido virou as costas para o povo

Núcleo de Comunicação Bloco Minas Melhor

Foto: Ricardo Barbosa/ALMG

O deputado João Vitor Xavier (PSDB) lamentou decisão tomada pela cúpula do partido dele de continuar apoiando o governo de Michel Temer. “Um governo que já está morto porém ainda não sepultado”, disse ele em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais na terça-feira (13/06).

De acordo com o deputado tucano, o PSDB não seguiu os princípios básicos da democracia que deve reger o país e todos os partidos políticos constituídos. “O PSDB não consultou sua base, não consultou a sua militância e não ouviu os seus atores no plano estadual para tomar uma decisão dessa importância”, ressaltou o deputado, lembrado de sua posição como secretário-geral do PSDB em Minas Gerais. "O PSDB sequer reuniu a sua executiva estadual para debater o assunto. Eu teria me posicionado contra, pois é mais um equívoco na história recente do PSDB”, completou.

João Vitor disse que, em uma conversa com um deputado federal sobre a decisão do partido, eles cometeram um grande erro, já que foi o próprio PSDB o autor do processo que questionava a legitimidade da eleição da chapa Dilma/Temer. “O PSDB questionou judicialmente este governo. Como pode haver coerência na decisão de um partido que entra na justiça contra uma chapa, por considerar que ela foi eleita de maneira ilegal e irrepublicana, e posteriormente, este mesmo partido decide compor este governo que ele questionava na justiça?”

Ao tomar a decisão de permanecer no governo ao qual classificou de cambaleante, João Vitor Xavier disse ainda que o PSDB virou as costas para os princípios éticos que o próprio partido defendeu quando foi criado. “É lamentável que essa decisão tenha sido tomada sem o mínimo de debate interno. O que une o PSDB ao Temer é a mesma incapacidade de ouvir as vozes da rua e daqueles que compõem o partido”, lamentou o deputado.

O parlamentar criticou ainda o modo autoritário com que a cúpula tucana toma as decisões. “O PSDB não perde a mania do caciquismo, a mania de se construir de cima pra baixo e com isso mais se distancia da realidade da população”. João Victor completou: “ontem, lamentavelmente vi o partido do qual eu faço parte mais uma vez virar as suas costas para a sociedade, ignorar as suas bases e sua militância”.

Ele lamentou ainda a permanência de Michel Temer à frente da Presidência da República, mesmo combalido após tantas denúncias de corrupção. “O PSDB estadual sequer foi ouvido numa decisão importante como essa, de permanecer ou não no governo do cadáver ambulante Michel Temer, que infelizmente continua à frente da presidência do país”.

Longe do povo - Para o deputado Cristiano Silveira (PT), vice-líder do governo, a fala de João Victor prova que o PSDB não ouve a voz do povo para tomar as suas decisões. “O PSDB teve a oportunidade de voltar a ter um diálogo com o povo brasileiro. Se o PSDB ouvisse as vozes das ruas saberia que um governo com menos de 5% de aprovação não é um governo legítimo”, discursou ele, em plenário.



Logo Minas Melhor Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais
Rua Rodrigues Caldas, 79 - 3º andar
Santo Agostinho - BH / MG

(31) 2108-7597 minasmelhoroficial@gmail.com
Copyright 2016 Minas Melhor.
Facebook Youtube Twiter Sound cloud
nas redes