Facebook Youtube Twiter Sound cloud
nas redes
 
 
Logo Minas Sem Censura Newsletter

Mais Notícias

 
 

Comissão de Participação Popular toma frente na busca de soluções para a Saúde em Betim


Em reunião com MP, Marília busca apoio para Saúde de Betim

A deputada Marília Campos (PT) desconstruiu o discurso do deputado da oposição Arlen Santiago (PTB), que criticou a presença de membros da comissão de Participação Popular ao município de Betim, para acompanhar problemas na área da Saúde como o fechamento de duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e a tentativa do prefeito Carlaile Pedrosa (PSDB) de fechar a maternidade Haydée Espejo Conroy e de municipalizar o Hospital Regional Osvaldo Franco. Marília disse que os parlamentares foram convidados por cinco vereadores do município e que a comissão tem legitimidade para representar a Assembleia Legislativa. “A Participação Popular não é temática [como a da Saúde], mas atende aos interesses daqueles que se organizam e solicitam a sua intervenção”, afirmou. Ela lembrou que a comissão que preside aprovou o requirimento já que a de Saúde, presidida por Arlen Santiago, “sequer colocou o documento em votação”.

Marília criticou a postura da oposição de utilizar outras comissões e o plenário para debates de interesses políticos. “Não podemos deixar que esses interesses desgastem o parlamento. Vamos continuar representando a Assembleia por meio da comissão de Participação Popular, pois temos legitimidade para isso”.

Na mesma linha, o líder do governo, deputado Durval Ângelo (PT), desconstruiu a fala do deputado João Leite do (PSDB) que disse que o Hospital Regional de Betim está sem receber recursos dos governos federal e estadual. “Quem mentiu não foi o João Leite, mas o prefeito que passou a informações pra ele. O Hospital de Betim recebeu no ano passado R$ 124,3 milhões do governo federal e mais R$ 16,87 milhões do governo do estado”, lembrou. Durval criticou ainda a falta de posicionamento dos parlamentares da oposição quanto ao fechamento da maternidade, das UPAs e municipalização do Hospital regional.


Saúde em Betim - Pauta da comissão de Participação Popular, os deputados Marília Campos (PT), Geraldo Pimenta (PCdoB) e Ricardo Faria (PCdoB), atendendo ao convite de vereadores do município, visitaram na terça-feira (15/03) o Hospital Regional de Betim. Informações sobre o caos no sistema de saúde do município chegaram até o Ministério Público, que organizou um grupo de trabalho responsável por buscar uma solução contra o fechamento da maternidade, das UPAs e de municipalização do Hospital Regional, hoje responsável pelo atendimento de 80% da demanda da região metropolitana. As ações de desmonte do sistema de Saúde estão sendo tomadas pela Prefeitura de Betim, comandada pelo PSDB.

De acordo com Marília Campos, o relato de funcionários e coordenadores é de que o fechamento da maternidade é inviável, já que o mesmo setor do Hospital Regional atende hoje 40% a mais de sua capacidade.

A parlamentar disse que em reunião com o Ministério Público, também realizada na terça-feira, querepresentante dos governos federal, estadual e municipal de Betim puderam apresentar as dificuldades enfrentadas pelo sistema. No entanto, ela destacou o posicionamento do governo de Minas Gerais, que reivindicou fazer parte da discussão e do planejamento na busca de alternativas para a manutenção da estrutura de Betim. “Todas as propostas foram acolhidas pelo Dr. Gilmar de Assis [Promotor de Justiça]. Agora precisamos aprofundar a discussão”, disse. Ela espera que no próximo dia 22, em audiência a ser realizada na Assembleia Legislativa, o grupo possa apresentar sugestões que ajudem suspender o processo de fechamento das UPAs e da maternidade.


Logo Minas Melhor Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais
Rua Rodrigues Caldas, 79 - 3º andar
Santo Agostinho - BH / MG

(31) 2108-7597 minasmelhoroficial@gmail.com
Copyright 2016 Minas Melhor.
Facebook Youtube Twiter Sound cloud
nas redes