Facebook Youtube Twiter Sound cloud
nas redes
 
 
Logo Minas Sem Censura Newsletter

Mais Notícias

 
 

Cristiano Silveira critica demagogia política e preocupação eleitoreira dos tucanos

Décio Junior - Núcleo de Comunicação Bloco Minas Melhor

Foto: Daniel Protzner

O vice-líder do governo na Assembleia Legislativa, Cristiano Silveira (PT), disse que “a oposição precisa parar de contaminar o processo legislativo por causa das eleições”, fazendo uma referência ao pleito de outubro, em que serão escolhidos o Presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e estaduais.

A crítica é com a postura adotada pelos parlamentares da oposição que há meses fazem obstrução e impedem a votação de qualquer projeto na Casa. Além de 12 vetos do governador, que precisam ser apreciados para destravamento da pauta em Plenário, o caixa estadual aguarda recursos da ordem de R$ 11 bilhões, que podem vir com aprovação de três projetos: cisão da Codemig, Securitização e Precatórios. Além disso, servidores da Educação aguardam a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 49, chamada de PEC da Educação.

“Tem uns bons meses que a Assembleia não vota nada e a produção em Plenário é pífia. A oposição está em processo de obstrução e isso implica a possibilidade de votar qualquer projeto. A PEC dos professores está prontinha, fizemos nosso trabalho nas comissões, mas percebo que não há boa vontade [da oposição] para votar aqui no plenário”, disse.

Cristiano lembrou que, além das dificuldades que o governador Fernando Pimentel enfrenta com a falta de recursos em caixa, Minas Gerais sofre com a falta de apoio da União. “Existe um cerceamento do presidente Michel Temer e dos senadores Anastasia e Aécio Neves para que o estado não receba os recursos que lhes são de direito. São mais de R$ 8 bilhões”, alertou.

Para o deputado, a oposição vive de demagogia quando critica o governo pelo parcelamento dos salários e ao mesmo tempo se posiciona contra projetos importantes para o estado. “Isso é um grande cinismo”, criticou.

Para ele, a oposição está preocupada em paralisar o governo em ano de eleição. “Os deputados [da oposição] falam que são solidários aos professores, com os servidores, com os prefeitos, mas quando chega uma proposta concreta para ajudar a resolver o problema, dizem que não vão colocar dinheiro na mão do Pimentel em ano de eleição. E é isso que está contaminando a agenda política da Assembleia. Eles não estão preocupados se os servidores estão recebendo parcelados, eles não querem é que o governo tenho dinheiro em caixa em ano de eleição”, reforçou.

Cristiano lembrou que o mesmo grupo que obstrui a pauta no Parlamento mineiro ajudou a dar o golpe que derrubou a presidenta Dilma Rousseff, e que resultou no fim de projetos sociais para as famílias de baixa renda, e que quebrou o estado de Minas Gerais com um rombo de R$ 8 bilhões. “E é o mesmo grupo que no passado acabou com o quinquênio dos professores, que fez com que o salário virasse subsídio e que impediam os professores de comerem merenda nas escolas”, lamentou.

Ele criticou também o líder da oposição, Gustavo Corrêa (DEM), que na tribuna do Plenário reforçou “que não terá acordo” para votar os projetos. “Que acordo é esse que eles querem que tem se sobrepor aos interesses do povo mineiro? Não tem que fazer acordo, tem é que votar aquilo que é importante e necessário”, desabafou.

Cristiano Silveira fez um apelo aos deputados da oposição. “Isso [a obstrução] não está prejudicando o governo Fernando Pimentel, está prejudicando os servidores e todo o estado de Minas Gerais, mas eles continuam saindo pela tangente”, lamentou.



Logo Minas Melhor Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais
Rua Rodrigues Caldas, 79 - 3º andar
Santo Agostinho - BH / MG

(31) 2108-7597 minasmelhoroficial@gmail.com
Copyright 2016 Minas Melhor.
Facebook Youtube Twiter Sound cloud
nas redes